E SE EU FOSSE PUTA?

May 2, 2008

_E aí, Zé! Quantas mulheres você já comeu?

_Umas 50!

 

_Putz! Você é mesmo um garanhão!!!

_Querida, com quantos homens você foi para a cama, antes de mim? 

_Com os três namorados que tive!

  

_Sua Puta!!!

 

Costumam definir a puta, como uma mulher vulgar e perdida no seu mundinho como se, exceto o fato de se fazer sexo com mais homens que uma pessoa comum, não tivesse a mesma vida, os mesmos sonhos e a mesma humanidade que as demais pessoas. Torna-se apenas, um ser miserável e marginalizado.  Se pensarmos no que queremos dizer com: _Nossa! Ele é um puta gato.  _Estou com uma puta fome!  _Ela está em uma "puta" fase da vida!  _Estou "puta” da vida! E assim por diante, teremos a conotação de "grande", então cá com os meus botões: "puta" é ser "grande mulher"!  Deduzo assim que, "grande mulher", não vai para a cama com qualquer um. Vai com quem ela quer!  Há alguns anos atrás, um cliente me disse uma coisa e isto não me saiu mais da cabeça: ”Todo homem, é basicamente, uma puta! Você vê por aí, homens que acreditam que coisas simples como um beijo no rosto, dado pelo próprio pai ou filho ou amigo, dizer “eu te amo” ou o dedo da sua parceira, na intimidade, podem fazer ruir as débeis paredes de sua masculinidade”. Concordo e acredito também que, se incorporássemos uma mulher no corpo de um homem, com as sensações femininas, com a mentalidade e os desejos femininos, teríamos um personagem que faria inveja a qualquer messalina, mesmo que fosse por apenas um dia!

_Cruzesss!!! Agora você endoidou de vez!  Vai querer acabar com os poucos que ainda restam? Eu, hein! Nem chega perto do meu bofe!

_Oh, coisa fofa! Além de ser a opinião de um homem, por sinal, muito inteligente e de sensibilidade aguçada, acrescento a essa sua conclusão, que esse “homem-puta”, é em todos os sentidos. Veja bem! Na cabeça convexa desse “homem-puta” (no meu entender: côncavo é o penetrado e, convexo o que penetra) a coisa funcionaria assim:  _Ora, ora! Então, agora, só preciso abrir as pernas?  Homens sem imaginação e troncos, em busca, unicamente, de pernas abertas, é o que não faltam. 

_Isch!!! Acho que você está mais por fora que umbigo de vedete!  

_Acha mesmo? Sei onde está querendo chegar e, acho que cada um dá o que tem e, sente prazer por onde quer! Falo do homem que, mesmo não tendo tendências homo, deixa os desejos se manifestarem, se realizem e, se realizam assim. As mulheres são mais seletivas e, as razões que conduzem seu desejo costumam ser, mais sutis.  Os homens, no entanto tem uma tendência a querer colocar seus paus em qualquer coisa que, vagamente, pareça com um buraco.

_Cacilda!!! Pega leve, amiga! 

_É o que estou tentando fazer! Imagine só! 1-Se todos os homens fossem criteriosos como as mulheres, provavelmente, a espécie, entraria em extinção por conta do reduzidíssimo número de trepadas. 2-Se as mulheres se manifestassem sexualmente como os homens, certamente a humanidade não faria progresso algum, pois estaríamos todos trepando, agora, concorda?

_Talvez seja melhor eu não responder!

_Veja bem, isso é só para demonstrar que há um sentido natural e inteligente nessa coisa toda. É claro que existem, mulheres e homens, cujos desejos se dêem de forma diferente: homens sutis e mulheres atiradas. Quando um homem procura uma puta, seja em qualquer lugar, na verdade ele busca alguém que preencha suas expectativas sexuais idealizadas de homem e embora isso suprima a etapa fundamental da sedução, o que ele busca nela é se realizar, não como homem, mas como a puta que ele mesmo nem imagina que é!

_Meu pai, dá-me forças para continuar ouvindo essa mulher! Você bebeu? Cheirou? Pegou uma gripe na bunda? 

_Nada disso! Sou a favor da saúde! Gosto de mim, fofa!  Quando digo puta, em relação ao homem, não é da profissão ou da quantidade de parceiros que ele tem, mas da maneira como esse homem enxerga o sexo.  Outro exemplo é o que se vê em filminhos, o que não vejo nada que possa acrescentar em mim como mulher, mulheres fazendo sexo como se fossem homens, ou melhor, preenchendo uma expectativa masculina, de como eles gostariam que fosse o sexo ou de como eles fariam sexo, se fossem mulheres. Não digo que isso seja bom ou ruim, dependendo de cada cabeça talvez falte filminhos no mercado, que preencham as expectativas femininas: homens fazendo sexo, como elas fariam se fossem homens ou, como elas esperariam que os homens o fizessem. Outra coisa! Tive um namorado, que adorava quando o tratava mesmo na frente dos amigos, de “minha puta”.  Todos entendiam como uma brincadeira, mas não para nós, principalmente, na hora de trepar.

_É, tenho que admitir que, podem ter razão, principalmente, no que diz respeito ao homem-puta, mas vem cá! Não acha isso agressivo demais? _Agressivo! Agressividade! É o que a "grande mulher" ganha, quando à noite "faz um quarto" e é obrigada a se defender das humilhações de alguns homens.  E se ela faz é porque alguém a procurou!

_Mas nem sempre é assim!

_Claro que não! Aprendem também a dar carinho e a receber carinho.  Aprendem a não dar o outro lado da face, por saberem que "os pequenos", não deixarão de jogar pedras. Muitas escondem o seu lado frágil, apenas para que ninguém se sinta mais forte, ao seu lado e assim tentem machucá-las, de alguma maneira. Escutei um dia, de um cliente meu e, parecia revoltado com isso: “De vez em quando... (consertou rápido, pois sabe que sou ciumenta) quando você viaja, vou até a boate X, onde trabalha uma menina, de mais ou menos 20 anos, muito bonita, loira de cabelos longos, alta, ouvi até um comentário, de que tinha tentado a carreira de modelo e, acredito que sim, pois realmente é muito bonita! Boa pessoa, mas geniosa e um pouco agressiva, com as outras e isso, pude reparar nas vezes que fui lá. Fiquei intrigado com sua atitude de agressividade e, ontem entendi! Quando chega até o cliente costuma ser muito meiguinha, mudando a voz e, ganhando um tom quase infantil: _Então, benzinho, não quer me pagar um copo? Ela não fez, absolutamente nada, além de exercer a sua função ali, para receber uma resposta tão dura: _Eu não pago copos para putas!”. Foi o que o machão disse! (O tipo de “machão”, que vai na “zona”, fica na pinga a noite toda e no outro dia, quando encontra os amigos, diz que saiu carregado de lá, de tanto trepar!) Ela lhe deu um tapa na cara, forte e com raiva, que ele caiu da cadeira.

_No mínimo, eu faria o mesmo que ela fez!  Se eu, nas condições dela,  fosse para a cama com um homem e ele, durante a transa, me chamasse de "puta”... adoraria!  Se acontecesse antes ou depois da transa, minha resposta seria automática: _Claro que sou puta, seu grande *cabrão! Ou você acha que, se eu não fosse puta, você conseguiria ir para a cama com uma mulher como eu?  Homens como você, só conseguem ter uma mulher na cama, com uma condição: pagando! Com certeza, por dinheiro nenhum o atenderia de novo. Homens como esse, nunca procuram carinho e, possivelmente nem sabem o que é isso. Homens como esse, não procuram companhia, mas uma "boneca" que possam manipular ao seu bel prazer ou para descarregar sua raiva ou suas frustrações pessoais, em um buraco. Homens assim precisam de alguém para impor sua suposta superioridade e reforçar o seu ego. Escolhem a "puta", por acreditarem que esta é inferior e foi feita para ser maltratada. Eu fico “puta da vida” quando ouço isso! Essas cenas de ofensas e agressividade são muito mais freqüentes em locais públicos do que em apartamentos. Em locais públicos, se expõe a clientes diferentes, "homens da noite", sem contar o álcool, o barulho, o tumulto, etc. Enquanto que o homem que freqüenta apartamento, na verdade, é escolhido por ela por ser discreto e reservado. Elegante na maneira de se portar. Podem até tratar uma mulher como puta, mas não no sentido ofensivo da palavra (vadia, interesseira e desumana). "Mulher de vida fácil" é uma definição que incomoda e, até arrisco um desafio, a qualquer pessoa que utilize essa definição: abra as pernas para vários desconhecidos diariamente e, depois me diga, se a vida é realmente tão fácil quanto imagina. Evidente que, nessa posição, irá "atender": os normais, os bonzinhos, os humanos, os homens elegantes, mas também por vezes, não terá como evitar: os escrotos, os nojentos, os monstros. Se eu hoje, me defino, como "amante profissional", pelo que sei e ensino, além de excelente profissional como massagista, é porque valorizo todas essas pessoas que conseguiram se livrar desses estereótipos. As mesmas pessoas, que procuram uma mulher que lhes ajude de alguma maneira, seja na teoria ou na prática!  Homens que não me pagam por um serviço sexual e sim, pelo tempo despendido para escutá-los, sem críticas tentar entendê-los, ajudá-los de alguma maneira através de técnicas, a se livrarem do cansaço físico, mental e sexual, do seu dia a dia.  Visto que, cada vez mais, as pessoas estão distantes umas das outras, a carência afetiva e sexual, tendem a aumentar. A necessidade de ser ouvido, de ter uma companhia, de namorar, de colocar suas carências e desejos para fora é gritante! Não aprovo e nem desaprovo, a profissão de “vida fácil”. Se existem empresas, não é em função de um homem só, mas de uma grande massa que precisa daquele serviço ou bem. Apesar da nossa auto-suficiência, não podemos ser sozinhos, viver sozinhos ou fazer tudo sozinhos.  Se um homem precisa de apenas sexo, ele pode fazê-lo sozinho, batendo uma punheta.  Se o homem precisa do sexo sentido, em toda sua plenitude, ele precisa de alguém.  Por vezes, ele precisa do toque, do carinho, de sentir o calor de outra pele, de uma companhia discreta, de escapar momentaneamente da sua realidade, do seu mundo cercado de normas, leis e imposições. Por vezes, o que ele precisa é de encontrar a si mesmo! Diante disso, afirmo e confirmo: _Sou uma "puta mulher" ou uma "mulher puta" na intimidade, sem vergonha de ser!  Tanto faz, como tanto fez!  Faço com quem eu quero!

_Huuummm... poderosa! Por essas e outras que gosto de me relacionar com mulheres maduras. Quando fazem, não é por mera curiosidade e sim, por querer mesmo!

Please reload

Featured Posts

À MODA DA CIDADE

December 11, 2010

1/2
Please reload

Recent Posts

December 11, 2010

December 10, 2010

October 20, 2010

October 19, 2010

September 11, 2010

September 17, 2008

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags
Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square